A Caixa Geral de Depósitos registou prejuízos de 74,2 milhões de euros entre janeiro e março deste ano, segundo informação à CMVM dos Resultados Consolidados do 1.º trimestre de 2016.

Estes prejuízos comparam com o lucro de 2,1 milhões de euros obridos no período homólogo do ano passado.

O banco público justifica os maus resultados com perdas de 97 milhões de euros em operações financeiras, em particular, com dívida pública portuguesa.

A Caixa esclarece que as imparidades foram reduzidas em 25% para 84 milhões de euros e que tem nesta altura um rácio de crédito em risco de 11,9%, o que ultrapassa os 8 mil milhões de euros.

No espaço de um ano. deixaram a CGD 529 trabalhadores e foram encerrados 36 balcões.

Menos 529 trabalhadores e 36 agências nos últimos 12 meses

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) reduziu o quadro de pessoal em 529 funcionários para 8.370 trabalhadores e o número de agências em 36 para 732 em Portugal entre março de 2015 e o mesmo mês deste ano.

Só no ano de 2015 saíram da operação doméstica da CGD 514 pessoas, e entre janeiro e abril mais 103 colaboradores. Quanto aos balcões, foram encerrados 34 desde o início do ano, informou hoje o banco público.

A ‘fatia de leão’ dos trabalhadores que saíram do banco é referente ao Plano Horizonte, o programa de reformas antecipadas da CGD que atraiu mais de 1.000 funcionários (mas nem todos as candidaturas voluntárias foram aceites pela administração) e que foi lançado em 2015 e vai ser fechado em 2016.

As restantes saídas são na sua maioria relativas a processos normais de reformas.