“Esta luta tem também o objetivo de lutar contra a reestruturação interna que está a ser feita, que vai originar a extinção de postos de trabalho e que assenta no objetivo de criar uma estrutura para uma empresa única que não existe”, esclareceu.










“É importante fazer uma semana de trabalho de intervenção sindical com plenários, com paralisações e eventualmente também com greves, com ações que irão agora ser construídas empresa a empresa numa perspetiva de continuarmos a ter na ordem do dia este debate e a posição dos trabalhadores e organizações sindicais e comissões de trabalhadores de oposição a este modelo”, disse José Manuel Oliveira.