A TAP vai duplicar a partir de domingo as ligações aéreas entre Lisboa e o Porto, passando a ter 18 ligações diárias em cada sentido, com partidas de hora a hora, e tarifas a partir de 39 euros.

"A ideia é ter voos a interligar as duas cidades a toda a hora. Partidas de hora em hora daqui [Lisboa] e de hora em hora de lá [Porto]. É um grande salto na prestação de serviço”, anunciou em janeiro o presidente da TAP, Fernando Pinto.

A designada ponte aérea contará com uma nova frota e será operada pela TAP Express - a nova designação da Portugalia (PGA) - e também com aviões A320 nos horários e períodos de maior procura.

Check-in exclusivo

De acordo com fonte oficial da TAP, vai haver dois balcões de check-in exclusivos para os passageiros da ponte aérea, estando o percurso até à porta de embarque devidamente assinalado para ser o mais "rápido e simples possível" e para tornar a opção área competitiva.

"O importante é chegar ao aeroporto sabendo que muito em breve está a sair outro avião. A ideia é entrar em concorrência efetiva com o comboio e até com o sistema de autocarros”, explicou então Fernando Pinto.

Entretanto, a CP - Comboios de Portugal intensificou a concorrência, com uma campanha de descontos que chegam aos 65% nos bilhetes para os comboios de longo curso (Intercidades e Alfa Pendular), desde que comprados com antecedência de oito dias.

Até julho, a TAP Express vai ter a frota totalmente renovada com 17 aeronaves (oito ATR52 com capacidade para 70 passageiros e nove Embraer 190 com capacidade para 100 passageiros), num investimento total de cerca de 400 milhões de euros.

A par com o reforço da operação entre Lisboa e o Porto, domingo de Páscoa - início do verão IATA - marca o fim de nove rotas com destinos europeus, consideradas deficitárias pela companhia: Barcelona, Bruxelas, Milão e Roma a partir do Porto, e Gotemburgo, Hannover, Zagreb, Budapeste e Bucareste, a partir de Lisboa.

O fim das rotas a partir do Porto levou o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, a criticar a estratégia da TAP e a admitir “apelar ao boicote da região” à transportadora, acusando-a de ter em curso uma estratégia para “destruir o aeroporto Francisco Sá Carneiro”, no Porto, e construir, em Lisboa, “um novo aeroporto e uma nova ponte”.

Fora da Europa, a TAP cancela a rota Lisboa-Bogotá-Panamá-Lisboa e ligação a Manaus (Lisboa-Manaus-Belém-Lisboa), que contará com “ligações otimizadas” asseguradas pela companhia Azul, de David Neeleman, acionista da TAP.

Ao mesmo tempo, a transportadora liderada por Fernando Pinto vai reforçar em 59 frequências semanais as ligações a destinos já operados pela transportadora aérea nacional, nomeadamente Espanha (Madrid e Barcelona), França (Paris e Toulouse) e Marrocos (Casablanca e Marraquexe), com o objetivo de ter “consistência no produto”.

Câmara do Porto critica redução de voos para o estrangeiro

No seu portal de notícias na Internet, a Câmara do Porto condena que a TAP faça menos 74 voos semanais do Porto para a Europa, Brasil e Estados Unidos a partir de domingo, no mesmo período em que tem início a ponte aérea com Lisboa que, ao contrário da Invicta, fará mais 59 ligações, "drenando tráfego para a Portela". 

"Estes números mostram que a TAP nunca assumiu nas suas inúmeras comunicações sobre a sua operação de verão (…), mostram uma redução superior a 35% de passageiros, relativamente ao verão de 2015”.

Recorde-se que a transportadora aérea anunciou no dia 18 de janeiro a suspensão dos voos do Porto entre o Porto e Barcelona, Bruxelas, Milão e Roma a partir do domingo de Páscoa, classificando estas rotas como “deficitárias”.

Para a Câmara do Porto, o início da ponte aérea “parece não estar a correr bem” à companhia, já que “hoje é ainda possível marcar lugar para todos os 18 voos” programados para domingo, “apesar do número reduzido de lugares dos aviões a hélice da denominada ‘TAP Express'”.

A autarquia mostra no seu site uma tabela comparativa do denominado “verão IATA” de 2015 com o deste ano, na qual é possível ver a redução de voos e do número de passageiros.

A Câmara destaca também que 18 companhias áreas operam atualmente a partir do Porto, sendo que “todas, exceto a TAP e a SATA, aumentarão a sua operação no aeroporto Francisco Sá Carneiro”.

“E não se trata apenas das companhias de baixo custo que estão no Porto. Também a partir de amanhã British Airways, Turkish Airlines e Lufthansa, por exemplo, aumentam substancialmente o número de voos semanais do Porto para Londres, Istambul e para um novo destino: Munique”

O presidente da Câmara, Rui Moreira, tem criticado fortemente a estratégia da TAP para o Porto, acusando-a de ter em curso o objetivo de “destruir o aeroporto Francisco Sá Carneiro”, com vista a construir em Lisboa “um novo aeroporto e uma nova ponte”. Rui Moreira até já escreveu um livro sobre esta 'guerra' com a transportadora: “TAP – Caixa Negra”

Aquando de uma reunião com os autarcas da Área Metropolitana do Porto (AMP), no dia 07, o presidente da TAP, Fernando Pinto, sublinhou que a companhia aérea “respeita muito o mercado do Porto” e que o Porto “é muito importante para a TAP”.