O aeroporto de Lisboa está, digamos assim, a rebentar pelas costuras. A ANA - Aeroportos já comunicou formalmente ao Governo que foram atingidos todos limites de capacidade no ano passado. A solução que tem estado em cima da mesa, como alternativa, é o aeroporto do Montijo, mas apesar do estado de coisas o Governo só deverá tomar uma decisão no segundo semestre de 2018.

O aeroporto Humberto Delgado tem capacidade para receber 22 milhões de passageiros anualmente. Porém, em 2017, chegou quase aos 27 milhões.

O Jornal de Negócios adianta, na sua edição desta segunda-feira, que foram batidos recordes nos quatro critérios para que se desencadeie uma solução alternativa. 

Vamos aos recordes:

  • 26,7 milhões de passageiros 
  • registaram-se cerca de 200 mil movimentos, quando a capacidade é para 185 mil;
  • 30º dia de maior procura (mais de 80 mil passageiros)
  • 30º dia mais movimentado (mais de 580 movimentos)

O mesmo jornal também revela que já foi criada a comissão que vai renegociar o contrato de concessão com a ANA, com despacho publicado na última sexta-feira, em Diário da República.

Neste processo, será também importante o estudo de impacto ambiental do novo aeroporto. Está quase pronto e há a expectativa de poder ficar em consulta pública a partir de abril e durante 60 dias. 

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) terá de se pronunciar e ao Governo cabe a decisão: Montijo, sim ou não? A proposta da ANA nesse sentido já foi entregue em novembro do ano passado. Com a constatação, agora, de todos os limites atingidos, há maior pressão sobre o executivo.