O Governo quer estender às taxas de portagem a introdução de um mecanismo de ajustamento à inflação com memória, que permita travar subidas de preços que penalizem os utilizadores das auto-estradas, adianta o Jornal de Negócios.

O objetivo é que as taxas que num determinado ano subam acima da inflação só voltem a sofrer agravamentos quando se esgotar o valor do aumento.

O Governo pretende que a comissão que está a renegociar os

contratos com as concessionárias abordem este tema nas conversações que estão em curso.

Este ano a Estradas de Portugal e a Brisa mantiveram inalteradas as taxas de portagem, apenas a Lusoponte subiu os preços.