As ligações fluviais da empresa Transtejo voltaram a parar na manhã desta terça-feira devido a uma greve parcial dos trabalhadores.

"A carreira extra na ligação de Cacilhas e as carreiras dos serviços mínimos foram cumpridas. As quatro ligações estiveram depois interrompidas, começando a ser retomadas cerca das 09:15", disse à agência Lusa fonte oficial da Transtejo.

Os trabalhadores da Transtejo, empresa responsável pelas ligações fluviais entre Cacilhas, Seixal, Montijo e Trafaria e Lisboa, cumprem hoje o segundo dia de uma greve de três horas por turno para exigirem a atualização salarial e contestarem a concessão a privados da Carris e do Metro.

José Manuel Oliveira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS), confirmou à Lusa que apenas foram cumpridas as carreiras que estavam definidas.

"A paralisação foi total, tendo circulado apenas as carreiras definidas. Podemos dizer que se registou um aumento de adesão em relação ao dia de ontem no período da manhã", afirmou.

O sindicalista referiu que as ligações estão a ser retomadas e que vão voltar a parar no período da tarde, a partir das 16:30.

"Não temos números deste período da manhã, mas a adesão dos trabalhadores abrangidos pela greve, que são os operacionais, é quase total, uma vez que não houve nenhum barco da Transtejo a circular", acrescentou.

A Transtejo está integrada na Transportes de Lisboa, juntamente com o Metro, Carris e Soflusa.