O Governo de Chipre decidiu hoje eliminar provisoriamente as restrições a levantamentos de dinheiro em numerário para empresas e particulares, impostas logo após o início da crise em março de 2013.

O ministério das Finanças cipriota anunciou que foi eliminada a proibição de levantar mais de 300 euros diários, no caso de particulares, e mais de 500 euros para empresas.

Estas restrições faziam parte de um vasto pacote de limitações às transações financeiras, justificadas para evitar uma fuga em massa de capitais durante a crise.

No seu 28.º decreto desde o início das restrições bancárias, o ministério decidiu ainda aumentar o limite para transferências mensais de particulares no interior do país de 20.000 para 50.000 euros.

Para as empresas, este limite situa-se agora nos 200.000 euros, o dobro da soma autorizada e em vigor até hoje.

No comunicado, o ministério também anuncia a eliminação dos limites de depósitos a prazo e precisa que o novo decreto, que se aplica a todas as contas independentemente da divisa, terá uma duração de 35 dias.