Os ministros das Finanças da União Europeia, reunidos esta terça-feira em Bruxelas, vão adotar formalmente a decisão que permite à Letónia aderir à zona euro a partir de 01 de janeiro de 2014.

A 28 de junho passado, os chefes de Estado e de Governo da União Europeia, numa cimeira em Bruxelas, deram 'luz verde' à adesão da Letónia à zona euro, felicitando o país báltico «pelo grau de convergência que conseguiu, graças a boas políticas económicas, orçamentais e financeiras».

A decisão dos líderes europeus foi tomada na sequência da proposta formal apresentada pela 'Comissão Barroso' a 05 de junho, baseada no «relatório de convergência» elaborado pelo executivo comunitário, segundo o qual a Letónia «atingiu um alto nível de convergência económica sustentável com a zona euro».

Após o Parlamento Europeu também ter votado favoravelmente a recomendação, na semana passada, falta apenas a decisão formal dos ministros das Finanças da UE (Ecofin), o que sucederá hoje, na reunião que decorre em Bruxelas, e na qual participará também o primeiro-ministro letão, Valdis Dombrovskis.

A Letónia tornar-se-á, assim, a 01 de janeiro do próximo ano, o 18.º membro da zona euro, sendo o sexto dos «novos» Estados-membros (os 12 países que aderiram à União Europeia em 2004 e 2007) a adotar o euro como moeda, depois de Eslovénia (2007), Chipre e Malta (2008), Eslováquia (2009) e Estónia (2011) já se terem juntado a Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Irlanda, Itália, Luxemburgo e Portugal.

Da agenda de hoje da reunião do Ecofin - na qual Portugal está representado pela nova ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque -, constam também a adoção das recomendações específicas para os Estados-membros sobre política económica e a apresentação das prioridades da presidência lituana na UE no segundo semestre do ano.

A reunião a 28 foi antecedida de um encontro do Eurogrupo (ministros das Finanças da zona euro), na segunda-feira, no qual Maria Luís Albuquerque disse ter reiterado aos seus parceiros da zona euro a «determinação» do Governo em cumprir o programa de ajustamento.

A ministra afirmou que o Eurogrupo ficou «tranquilo» com a mensagem de estabilidade transmitida.