Um grupo de lesados do BES manifestou "desilusão", após uma reunião com o primeiro-ministro, este sábado, em Arcos de Valdevez, já que Passos Coelho apenas lhes terá dito que cabe à CMVM e ao Banco de Portugal resolver o problema.

Rui Alves, representante do grupo de lesados, afirmou que tinham esperanças neste encontro com Passos Coelho, mas o resultado acabou por ser uma "desilusão".

"Apenas nos disse que o assunto tem de ser revolvido entre a CMVM [Comissão do Mercado de Valores Mobiliários] e o Banco de Portugal. Mas sobre uma solução, não disse nada", afirmou Rui Alves.


Este lesado do BES acrescentou que o dia de hoje foi "o mais triste" da sua vida.

O primeiro-ministro foi a Arcos de Valdevez inaugurar o Paço de Giela, onde também marcou presença cerca de uma dezena de lesados do BES, que se conseguiram reunir com Passos Coelho.

A reunião demorou mais de meia hora, mas, no final, a desilusão era a dominante entre os lesados.

"Não queria ouvir o que o primeiro-ministro me disse", sublinhou Rui Alves, com a voz embargada.


Aludiu à situação "muito complicada" em que ficou com o caso BES.

"Vim de Angola sem nada, agora estou sem nada", rematou.

No final da reunião, o primeiro-ministro não falou aos jornalistas.