Os clientes lesados do BES prometem não desistir de serem reembolsados do investimento feito em papel comercial do Grupo Espírito Santo e isso significa prosseguir com os protestos e as invasões de agências bancárias, mesmo depois de o Novo Banco ser vendido.
 
A Associação de Lesados do Novo Banco, em entrevista à TVI24, alerta os potenciais compradores que quando adquirirem o Novo Banco compram também um «problema grave».
 
Rui Falcão, representante desta associação, avisa que se nada resultar, só restará a via judicial e, nesse caso, «serão os portugueses a pagar».
 
Para estes clientes a culpa recai sobre o Banco de Portugal. que a associação acusa de dar o dito por não dito, e de bloquear uma solução. Rui Falcão garante que o Novo Banco já apresentou várias ao Banco de Portugal, que deixavam o rácio de capital dentro do limite exigido pela Autoridade Bancária Europeia, mas o supervisor só permite uma solução neutra que não interfira com a liquidez e a rentabilidade da instituição financeira.