Hoje há leilão de rendas low cost

Mais de 50 lojas para arrendar em Lisboa a partir de 135 euros por mês

Por: Redação / VC    |   7 de Novembro de 2012 às 09:29
Se está à procura de um espaço para montar o seu negócio ou para transferi-lo de sítio, pode aproveitar a iniciativa que decorre esta quarta-feira, na capital. A Invest Lisboa e a EPUL vão realizar um leilão de arrendamento de 52 lojas, fazendo jus ao conceito low cost: Renda XS = Espaço XL.

A base de licitação mais baixa é de 135 euros por mês e os espaços comerciais ficam todos em Lisboa. Os preços variam em função da dimensão das lojas e da localização.

«O programa de arrendamento comercial a preços de exceção, procura desta forma dar o seu contributo para a revitalização do comércio local e dinamização da economia da cidade de Lisboa», lê-se no site da Invest Lisboa.

Os interessados terão de se registar com o pagamento de 250 euros. Caso não fechem negócio, o dinheiro ser-lhes-á devolvido. Para aqueles que arrendarem uma loja, esse dinheiro entra para o pagamento da renda.

Condições

Fique a saber já quais as condições do negócio:

« - Contratos de arrendamento a 5 anos, renováveis, automaticamente, por um ano;

- Nos primeiros 5 anos do contrato a renda mensal é calculada através da seguinte fórmula:

1º ano - Pagamento de apenas 45% do valor da renda

2º ano - Pagamento de apenas 55% do valor da renda

3º ano - Pagamento de apenas 65% do valor da renda

4º ano - Pagamento de apenas 80% do valor da renda

5º ano e seguintes‐Pagamento de 100% do valor da renda

- Não haverá taxa anual de atualização da renda durante os primeiros 5 anos;

- As lojas serão entregues no estado em que se encontram;

- Qualquer contrato poderá ser denunciado com pré‐aviso de 3 meses;

- Sem período de carência.

O valor de renda mensal para o 2º a 5º anos e subsequentes é garantido e conforme anunciado na lista de imóveis, só podendo alterar‐se, por licitação, o valor de renda mensal do primeiro ano».

Este leilão decorre então esta quarta-feira, dia 7 de novembro, às 15 horas, na sede da ACL, Rua das Portas de Stº. Antão, 89.
PUB
Partilhar
EM BAIXO: Agência Financeira
Agência Financeira
COMENTÁRIOS

PUB
Operações irregulares no BES «fora do radar» de ex-administrador

Joaquim Goes alega que as cartas de conforto «não eram do conhecimento da maioria dos membros da comissão executiva». «Entre as quais, eu próprio», assegura. Estas cartas foram passadas BES à petrolífera venezuelana PDVSA e resultaram em elevadas imparidades ao banco no primeiro semestre de 2014. Depois disso, foi o fim.