A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas e o Orçamento do Estado para 2014 voltam esta terça-feira à discussão no Ministério das Finanças, entre os sindicatos e o secretário de Estado da Administração Pública, sem perspetivas de acordo.

FESAP: «Uma coisa é abertura, outra é resolver problemas»

A Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública, a Federação Sindical da Administração Pública e os Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado já garantiram que não darão o seu acordo à Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas porque que ela vai agravar as condições de trabalho e retirar direitos aos funcionários públicos.

A Lei Geral de Trabalho em Funções Públicas foi aprovada no fim de outubro em Conselho de Ministros e enviada para o Parlamento, onde está em consulta pública.

A proposta de Orçamento do Estado para 2014 é outro dos pontos de discórdia entre Governo e sindicatos.

As estruturas sindicais da função pública promoveram uma greve na última sexta-feira contra o agravamento dos cortes remuneratórios e das condições de trabalho, nomeadamente o aumento do horário de trabalho.