O negócio da prostituição em Portugal movimenta cerca de 1,1 mil milhões de euros por ano, ou seja, 0,6% do PIB o que, em caso de legalização, poderia render ao Estado mais de 500 milhões de euros, de acordo com o Correio da Manhã.

O INE vai esta quarta-feira esclarecer em conferência de imprensa a forma de incluir no cálculo do PIB as estimativas de receitas de atividades paralelas, como o tráfico de droga ou a prostituição, à semelhança do que acontece em países como Itália ou Irlanda.

Em caso de legalização, o negócio da prostituição poderia render ao Estado 280 milhões de euros. Juntando outros impostos, como IRS e IRC, o valor poderia superar os 500 milhões.