O Banco Commonwealth Australia vai ser investigado pelo alegado uso de máquinas de depósitos por grupos criminosos que se dedicam à lavagem de dinheiro.

O presidente da Comissão Australiana de Valores e Investimentos (ASIC, na sigla em inglês), Greg Medcraft, anunciou a investigação perante uma comissão parlamentar, esta sexta-feira, que se realiza uma semana depois de a agência australiana contra a lavagem de dinheiro (AUSTRAC) ter processado o banco.

Essa agência considera que a entidade financeira não cumpriu a lei contra a lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo em 53.700 transações, entre novembro de 2012 e setembro de 2015.

Este processo pode tornar-se no mais caro da história corporativa da Austrália. O Commonwealth Bank arrisca uma multa de 9.660 milhões de dólares (cerca de 8.200 milhões de euros), quase tanto com o lucro que apresentou no último exercício.

O seu presidente executivo (CEO), Ian Narev, é o mais bem pago do país. Recebeu 12,3 milhões (10,5 milhões €) entre 2015 e 2016.