A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, defendeu que a Alemanha deve aumentar o seu nível de salários para que impulsione a recuperação económica na Europa.

«Acho muito importante que a Alemanha participe no movimento de recuperação de forma intensa. Tem os meios para o fazer», afirmou Christine Lagarde à estação de televisão suíça RTS, citada pela Lusa.

Descrevendo a retoma económica da Europa como «trabalhosa», a líder do FMI sublinhou que aquela que é a maior potência económica do continente europeu tem «margem de manobra» para ajudar, como ficou provado nas recentes negociações salariais.

A existência «dessa margem ficou provada nas negociações salariais entre sindicatos e organizações patronais», afirmou, acrescentando ter esperança que «a iniciativa seja alargada e isso ajude a impulsionar a retoma europeia».

No mês passado, o presidente do banco central alemão (bundesbank), Jens Weidmann, admitiu haver possibilidade de os salários do país aumentarem até 3%, já que a Alemanha «está praticamente em situação de pleno emprego».