consciência tranquila

«O que falhou não foram os auditores, claramente. Tivemos um papel importante desde o início do processo. Procedemos como tínhamos de proceder»



os últimos meses antes do colapso foram «críticos» para o desfecho

«As cartas tinham uma natureza que vinculava o banco». «De todos os pareceres que existiam e, de toda a opinião que o Dr. Rui Silveira [ex-administrador do BES] foi transmitindo, havia uma contingência» evidente. «O próprio BES concluiu que deviam ser provisionadas. Não fui eu que achei. O banco achou e eu também»

Esta responsável assegura que não foi assim