Kim Karapetyan, fundador e presidente da empresa russa Blackfield Capital CJSC, está desaparecido, tal como todo o dinheiro da empresa, que pertencia, maioritariamente, a clientes, conta o «The Wall Street Journal». As contas das redes sociais estão desativadas.

A Blackfield Capital CJSC é uma empresa em ascensão internacional que procura ajudar os seus clientes a investirem. Conhecido pelo império que constrói desde 2009 e pelos eventos excêntricos que planeia, o jovem de 29 anos já tinha planeada a expansão da empresa para os Estados Unidos.

Em meados de outubro, os funcionários da Blackfield Capital tomaram conhecimento do caos em que estavam mergulhados. Já não viam o presidente há alguns dias e parecia tudo bem.

Tudo aconteceu quando um grupo de homens, que não se identificou, entrou nas instalações da Blackfield em Moscovo à procura de Kim Karapetyan. Ninguém sabia dele. Mas não era só do paradeiro dele que não tinham conhecimento. Os empregados foram informados que a conta da empresa estava a zero e, por isso, não havia dinheiro para pagar os salários. Os ativos, que eram dos investidores, rondavam cerca de 20 milhões de euros.

A Blackfield Capital, que tem como slogan «somos cientistas», é uma empresa focada em algoritmos utilizados na análise de padrões de mercado. «Introduzimos estabilidade no caos. Os nossos processos de investimento, totalmente sistemáticos, ajudam a evitar o erro humano, os preconceitos cognitivos e os erros emocionais de negociação», é a forma como se caracteriza a empresa.

Tal como apresenta o site, a Blackfield organizava eventos excêntricos e de arromba. No evento de final do ano em 2012, a empresa convidou a boysband Blue para atuar e ofereceu um iPod a cada um dos funcionários. 

Futuro incerto

Os ex-funcionários contam que as ideias de expansão para a Bolsa de Londres e Chicago já estavam nos planos de Kim Karapetyan, tal como a expansão para os Estados Unidos. O presidente já tinha alugado 18 apartamentos e contratados vários empregados. O fundador da Blackfield tinha adquirido recentemente uma mansão no centro de Moscovo e um Aston Martin Vanquish, no valor de milhões de euros.

Kim dizia que tinha trabalho no banco Morgan Stanley, depois de tirar o mestrado de economia na London School of Economics. Porém, não existe nenhum registo no nome do jovem em nenhum dos locais. Diz-se, também, que o presidente da empresa contactou com alguns funcionários e investidores através de mensagens codificadas, que diziam que estava a fugir das ameaças que lhe tinham feito. Prometeu que devolveria todo o dinheiro que tinha levado consigo.