A dfábrica de calçado Karapi, em Tentúgal, concelho de Montemor-o-Velho, no distrito de Coimbra,  vai fechar no final do mês e a decisão é definitiva, disse à agência Lusa Fernanda Moreira, do Sindicato do Calçado.

"O encerramento é uma decisão definitiva e foi tomada pelo patrão", apontou a mesma fonte, adiantando que os dirigentes sindicais falaram na noite de terça-feira, durante cerca de 30 minutos, com o proprietário Hervé Chupin.

Esta quarta-feira de manhã houve uma reunião na empresa com os responsáveis da produção e do setor administrativo sobre a situação dos cerca de 100 trabalhadores.

"Foi-nos dito que o encerramento está relacionado com outra fábrica do mesmo proprietário em França que era a única cliente da Karapi", explicou Fernanda Moreira, acrescentando que os novos donos da empresa francesa "não querem manter a ligação com Portugal porque já trabalham com a Tunísia".

Citando informações que lhe foram transmitidas pelos responsáveis da Karapi, a sindicalista disse ainda que a empresa francesa "não é a casa-mãe" da firma de Montemor-o-Velho.

"Disseram-nos que Portugal não é filial nem subsidiária. São empresas distintas que tinham em comum o mesmo proprietário".

Em causa, com o encerramento da unidade, estão os postos de trabalho de 95 colaboradores efetivos, a que se juntam mais 40 que trabalham a partir de casa.

A agência Lusa tentou ouvir o empresário francês, mas os contactos, até ao momento, revelaram-se infrutíferos. Fonte da Karapi alegou que o proprietário viajou na terça-feira à noite para França e que ninguém na empresa está mandatado para prestar declarações.

Na terça-feira, Fátima Moreira explicou que os trabalhadores, que não têm salários em atraso, temem a saída de matéria-prima e maquinaria das instalações antes de o processo de insolvência dar entrada no tribunal, o que deverá acontecer em breve. Os operários ponderam fazer vigílias à porta da unidade fabril para evitar a saída de património, adiantou.