A taxa de juro implícita no crédito à habitação subiu em setembro para 1,410%, interrompendo a trajetória descendente iniciada em dezembro de 2011, refletindo o avanço da Euribor a seis meses entre junho e agosto.

Segundo as estatísticas hoje divulgadas pelo INE, apesar da subida de 0,003 pontos percentuais face à taxa observada em agosto, o valor da prestação média não se alterou, fixando-se nos 258 euros, à semelhança dos três meses anteriores.

A taxa de juro implícita no crédito à habitação representa a relação entre os juros vencidos no mês de referência e o capital em dívida no início desse mês.

Para os contratos celebrados nos últimos 3 meses, a taxa de juro implícita desceu 0,007 pontos percentuais face a agosto, atingindo os 3,015% em setembro.

O valor da prestação média para estes contratos foi de 313 euros, menos cinco euros do que no mês anterior.