A taxa de desemprego jovem na OCDE caiu para 14,3% em fevereiro, o nível mais baixo desde novembro de 2008 e menos 2,5 pontos percentuais do que no pico de janeiro de 2013, informou esta segunda-feira a organização.

Contudo, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) sublinha que a taxa de desemprego jovem (jovens com idades entre os 15 e 24 anos) se mantém «excecionalmente elevada» em alguns países da zona euro como a Grécia (51,2% em dezembro, o último dado disponível), Espanha (50,7%), Itália (42,6%) e Portugal (35%).
Por géneros, a taxa de desemprego em fevereiro caiu 1,1 pontos percentuais em relação ao 'pico' de janeiro de 2013, tanto para as mulheres (para 7,1%) como para os homens (para 7,0%).

Em relação à taxa de desemprego, a OCDE refere que esta desceu 0,1 pontos para 7% em fevereiro, com um decréscimo acumulado de 1,1 pontos percentuais desde janeiro de 2013.

Na OCDE, 42,9 milhões de pessoas estavam desempregadas em fevereiro deste ano, menos seis milhões do que em janeiro de 2013, adianta a organização.

Na zona euro, a taxa de desemprego recuou 0,1 pontos percentuais, para 11,3% em fevereiro, menos 0,8 pontos percentuais do que no pico de abril de 2013, sublinhando a organização que apenas foram verificados aumentos na Finlândia, em Portugal e em Itália.

Em fevereiro, a taxa de desemprego também caiu nos Estados Unidos (0,2 pontos percentuais para 5,5%, o nível mais baixo desde maio de 2008) e no Japão (0,1 pontos para 3,5%), mas aumentou no Canadá (0,2 pontos para 6,8%).
Entretanto, dados mais recentes, referentes a março, indicam que a taxa de desemprego se manteve nos Estados Unidos e no Canadá.