O ministro das Finanças reuniu na passada quinta-feira com a actual administração da Caixa Geral de Depósitos para pedir aos administradores que aceitem manter-se em funções até 15 de agosto.

A equipa liderada por José de Matos mostrou disponibilidade para analisar o pedido de Mário Centeno, mas apenas depois de o ministro fazer um pedido formal por escrito explicando as razões que devem levar os gestores a permanecerem nos cargos, apesar de, legalmente, só estarem obrigados a ficar na Caixa até 31 de julho, noticia o Negócios.

O risco de um vazio de poder na CGD, devido ao atraso no processo de aprovação da futura equipa de administração, liderada por António Domingues, levou Mário Centeno a fazer uma visita inédita à sede do banco do Estado na quinta-feira. No entanto, apesar da abertura evidenciada pela administração da Caixa, o ministro saiu do edifício da Avenida João XXI, em Lisboa, sem garantias de que todos os administradores aceitem prolongar funções.