O Banco Central Europeu (BCE) recomendou a nomeação da alemã Sabine Lautenschläger para substituir o compatriota Jörg Asmussen na direção da instituição.

O conselho de governadores do BCE «não tem objeções à nomeação da candidata proposta, Sabine Lautenschläger, que é uma pessoa cuja autoridade e experiência profissional no domínio monetário ou bancário são reconhecidas, como requerido por um artigo do Tratado sobre o funcionamento da União Europeia», refere um comunicado do BCE.

Lautenschläger, atual vice-presidente do Bundesbank (banco central alemão), vai ser ouvida na segunda-feira em Estrasburgo pela comissão de Assuntos Económicos do Parlamento Europeu.

O Conselho da União Europeia (UE), que representa os Estados da UE e que já deu na terça-feira uma primeira luz verde à nomeação Lautenschläger, tomará a decisão final.

O nome de Lautenschläger, encarregada no Bundesbank pela supervisão bancária, foi proposto por Berlim em finais de dezembro.

Apesar de não existir qualquer regra que determine que a Alemanha detenha direito a um cargo no seio da direção do BCE, o Governo alemão não se mostrou disponível para abdicar do mesmo.

Jorg Asmussen, encarregado das relações internacionais no seio do BCE, escolheu em dezembro deixar funções para se tornar secretário de Estado do Trabalho no governo de coligação saído das eleições legislativas de setembro, nas quais a chanceler Ângela Merkel conquistou um terceiro mandato.

Os seis membros da direção do BCE são nomeados para um mandato de oito anos não renovável.