O fundador do BPP, João Rendeiro, acusa o Banco de Portugal de conhecer a estratégia da instituição e de consentir a comercialização das estratégias de retorno absoluto com garantia de capital, segundo o Diário Económico.

João Rendeiro foi um dos 11 arguidos considerados culpados pelo supervisor. Estes foram alvo de um total de 11 milhões de euros em coimas. O julgamento do processo-crime arranca a 4 de fevereiro.