O presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, disse esta terça-feira que prevê duplicar os recursos para empréstimos aos países emergentes, como a China e Brasil, conforme o plano da instituição para enfrentar os novos desafios do desenvolvimento global.

Jim Yong Kim fez o anúncio ao discursar no Conselho de Relações Externas, um centro norte-americano de reflexão e influência, realçando a necessidade de enfrentar a crescente desigualdade económica e aumentar a agilidade e flexibilidade da instituição.

Os fundos para estes países, considerados de rendimento médio, entre os quais se encontram o Brasil, a China, a Índia e o México, provirão do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (IBRD, na sigla em Inglês).

Os dados do Banco Mundial indicam que grande parte das pessoas situadas abaixo do limite definido para a pobreza extrema,1,2 mil milhões que vivem com menos de 1,25 dólares (0,9 euros) por dia, estão nos países considerados de rendimento médio, como China e Índia, e não nos países pobres.