As vendas do grupo Jerónimo Martins, dona da marca Pingo Doce, aumentaram 11,3% em 2017, face ao ano anterior, para 16.275 milhões de euros.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Jerónimo Martins divulgou as vendas preliminares do grupo durante o ano passado, segundo o qual as vendas do Pingo Doce subiram 3,1% para 3.667 milhões de euros e as do Recheio progrediram 7,2% para 942 milhões de euros.

As vendas da cadeia colombiana Ara aumentaram 72% no ano passado, face a 2016, para 405 milhões de euros, e na Polónia a cadeia de supermercados Biedronka [Joanhinha na tradução portuguesa] registou uma subida das vendas líquidas de 13,2% para 11.075 milhões de euros. Já as vendas da cadeia de saúde e beleza polaca Hebe subiram 35,6% para 166 milhões de euros.

O crescimento LFL ['like-for-like', ou seja, vendas em lojas que operaram sob as mesmas condições no período em análise] foi a principal prioridade para a Biedronka, para o Pingo doce e para o Recheio, enquanto a Ara atingiu o seu objetivo de acelerar a expansão da sua rede de lojas", referiu a Jerónimo Martins, em comunicado.

 

Ao longo de 2017, a Ara investiu na sua capacidade de expansão e abriu 169 novas localizações, das quais 77 no quarto trimestre, com um ritmo mais intenso do que planeado no final de dezembro. A insígnia terminou o ano com um total de 389 lojas e um crescimento das vendas de 72%", adianta.