Espanha apoiará “naturalmente” uma eventual candidatura de Mário Centeno se o ministro das Finanças português decidir concorrer ao cargo de presidente do Eurogrupo, disse hoje em Bruxelas o ministro da Economia espanhol, Luis de Guindos.

“Se Mário Centeno se apresentar naturalmente que terá o apoio de Espanha”, afirmou, numa conferência de imprensa à margem de uma reunião de ministros das Finanças da União Europeia (Ecofin), o ministro espanhol, que em 2015 concorreu ao cargo, perdendo para o holandês Jeroen Dijsselbloem, que se apresta agora a despedir-se do Eurogrupo após dois mandatos.

Apontando que já teve oportunidade de garantir o seu apoio a Centeno, tal como o ministro português lhe disse que contaria com o apoio de Portugal caso decidisse avançar, o que não é o caso, sublinhou – “não sou candidato” -, De Guindos comentou que se trata da “afinidade ibérica”, que é bem conhecida, “e que sempre foi tradicional entre Espanha e Portugal”.

O Governo prepara-se para avançar com a candidatura de Mário Centeno a presidente do Eurogrupo. O sucessor do holandês Dijsselbloem será escolhido pelos governos europeus no dia 4 de dezembro. Esta segunda-feira, os ministros das finanças estão reunidos em Bruxelas, num encontro que Centeno vai aproveitar para garantir apoios à sua candidatura.