O Banco Mundial reviu em baixa a previsão sobre o crescimento económico da China em 2014, de 7,7% para 7,6%, devido ao abrandamento da produção industrial e das exportações nos primeiros meses do ano, disse esta terça-feira a imprensa oficial.

Trata-se de um descida de 0,1 pontos percentuais face ao crescimento registado em 2012 e 2013 (7,7%), que foi o mais baixo desde o final da década de 1990, mas não altera a previsão do Banco Mundial para 2015 (7,5%), refere o China Daily.

Analistas citados pelo jornal estimam que no primeiro trimestre de 2014, o Produto Interno Bruto chinês deverá ter crescido «entre 7,2% e 7,4%», o que coincide com a meta de «cerca de 7,5%» preconizada pelo governo.

No dia passado dia 02 de abril, o governo chinês anunciou um pacote de estímulos económicos, ou «medidas pró-crescimento», segundo a terminologia oficial, nomeadamente para construção de caminhos-de-ferro e redução de impostos às pequenas empresas.

A China é a segunda economia mundial, a seguir aos Estados Unidos, e o maior exportador do planeta, tendo assegurado mais de um terço do crescimento global nos últimos cinco anos.