As empresas de hotelaria e restauração estão descapitalizadas e à beira do abismo: 60% estão em alto risco de falência, segundo um relatório da Comissão Europeia.

De acordo com Pedro Carvalho, diretor do departamento de investigação, planeamento e estudos da AHRESP, em declarações ao JN/Dinheiro Vivo, este «é o resultado de uma única situação: a elevada carga fiscal que impera sobre a restauração e hotelaria e que provocou a sua descapitalização».

«Houve um brutal aumento de impostos, que as empresas, num período de deflação, não refletiram nos preços ao consumidor, pelo que as nossas margens e capitais próprios começaram a ser verdadeiramente esmagados», adiantou.

A AHRESP alerta que o aumento do IVA na restauração para 23% atirou a capacidade financeira das empresas para os níveis mais baixos de sempre.

Nota o Jornal de Notícias que, em 2014, os serviços de alojamento, restauração e similares empregavam 276 mil pessoas, o que representa um mínimo histórico, num ano em que as receitas do turismo bateram recordes.