O Imposto Único de Circulação (IUC) aumenta 0,5% em 2016 em todos os automóveis, segundo uma simulação da Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel (ANECRA) à proposta do Orçamento do Estado para 2016 (OE2016).

A proposta de atualização deste imposto automóvel reflete uma subida de 0,5% igual para todos os automóveis, independentemente da cilindrada, emissões poluentes e do tipo de combustível.

De acordo com a simulação da ANECRA, um Citroen C1 vai passar a pagar 99,29 euros, em vez de 98,80 euros, enquanto um Audi S8 vê o IUC aumentar de 660,45 para 663,75 euros em 2016.

De acordo com a proposta do OE2016, o Governo pretende obter uma receita líquida de 311,2 milhões de euros, estimativa que reflete “a tendência de crescimento deste imposto, bem como o crescimento da venda de automóveis em 2015”.

No setor automóvel, o Governo vai também aumentar o Imposto sobre Veículos (ISV) em 3% na componente cilindrada e entre 10% e 20% na componente ambiental.

O OE2016 aumenta ainda o Imposto sobre Produtos Petrolíferos (ISP) em seis cêntimos por litro na gasolina sem chumbo e no gasóleo rodoviário.

Para o Governo, o aumento do imposto aplicável aos combustíveis rodoviários pretende "corrigir a perda de receita fiscal, resultante da diminuição da cotação internacional", acrescentando ainda a intenção de anular "os impactos negativos adicionais ao nível ambiental e no volume das importações nacionais causados pelo aumento do consumo promovido pela redução do preço de venda ao público".