Itália decidiu dar um bónus aos jovens, 500 euros para cada um gastar em atividades e produtos culturais. Todos aqueles, sem exceção, que tenham feito 18 anos em 2016, vão receber a oferta. 

Entram para o leque de contemplados não só os nascidos no país, mas também todos aqueles que tenham residência legal.

O dinheiro poderá ser gasto, por exemplo, em museus, teators, cinemas, concertos, exposições, feiras, parques arqueológicos ou na aquisição de livros, música ou filmes. 

Como podem obter o dinheiro?

Se a medida é destinada aos jovens, nada como uma aplicação para telemóvel - que a maioria tem - para que possam ter acesso ao dinheiro da forma mais simples possível.

É mesmo isso: só precisam de descarregar a aplicação 18 app e obter as credenciais de acesso para ter direito ao dinheiro. 

A mesma aplicação contempla a lista de investimentos possíveis, que terão de ser feitos, no máximo, até ao dia 31 de dezembro de 2017. 

Pelas contas do governo italiano, este "bónus da cultura" vai abranger 574.593 jovens este ano, num investimento de 290 milhões de euros. 

A medida, aprovada pelo executivo há cerca de oito meses, entrará em vigor a 15 de setembro, coincidindo com o arranque do ano letivo. Vai avançar mesmo, pese embora o país esteja a atravessar uma fase complicada na sua economia. Matteo Renzi não abdica de passar a mensagem de que a cultura é uma garantia de futuro e, simultaneamente, de integração social. 

Promete não ficar por aqui e, no próximo ano, alargar o prémio, nos mesmos valores, aos professores para que possam complementar a sua formação.