A Assembleia Geral do BPI chumbou a proposta de cisão dos ativos africanos, que visava resolver o problema da exposição a Angola e cumprir o requisito do BCE, com a empresária angolana Isabel dos Santos a derrotar as intenções do maior acionista, o espanhol Caixabank.

Esta foi apenas mais uma batalha na longa guerra que Isabel dos Santos, que é a segunda maior acionista com 18,6% do BPI, tem vindo a travar com o Caixabank, que tem 44,1% do banco português.

A proposta de cisão não conseguiu alcançar uma maioria qualificada superior dois-terços dos votos presentes na AG e foi chumbada com os votos contra da Santoro Finance de Isabel dos Santos.

"A proposta foi chumbada por uma escassa margem," disse um acionista à saída da AG.

Outro acionista confirmou que a cisão não foi aprovada, acrescentando que a Santoro votou contra a proposta.

O Caixabank não pôde usar a totalidade dos seus votos uma vez que os Estatutos do BPI limitam os direitos de voto de cada acionista a um máximo de 20%.