O novo presidente executivo do Banco Espírito Santo (BES), Vítor Bento, anunciou esta quarta-feira que o banco vai avançar imediatamente com um aumento de capital, depois de terem sido divulgados os resultados semestrais da instituição.

«Será desencadeado de imediato um processo visando aumentar o capital do banco», informou o gestor num comunicado emitido cerca de uma hora depois de terem sido apresentadas as contas do BES no primeiro semestre, marcadas pelo prejuízo histórico de 3,6 mil milhões de euros.

Além do forte agravamento do resultado líquido, entre os destaques dos resultados semestrais, conta-se o facto de o rácio de capital do banco («common equity tier 1») situar-se, no final de junho, nos 5%, ou seja, abaixo do mínimo de 7% exigido pelo Banco de Portugal, considerando o período transitório para a aplicação das novas regras de Basileia III.

Esta situação torna urgente o reforço de capital do banco, «devendo para o efeito ser convocada uma Assembleia-Geral para reunir dentro do prazo em que seja razoável concretizar tal aumento», lê-se no documento.

A propósito, Vítor Bento destacou que «nas últimas semanas, o banco tem assistido a manifestações de interesse de atuais e potenciais acionistas em participar no Plano de Capitalização, alguns expressando mesmo interesse em tomar participações significativas».

E revelou que «esta mesma informação foi transmitida à equipa de gestão pelo consultor financeiro (Deutsche Bank) que, como recentemente comunicado, foi contratado pelo banco para assessorar a otimização da estrutura do seu balanço».

O presidente executivo do BES salientou também que «a auditoria já anunciada pelo Banco de Portugal, e que se deverá iniciar em breve, deverá facilitar e abreviar o processo de avaliação que os investidores normalmente requerem num processo de aumento de capital, reforçando a confiança no banco».

Os novos membros do Conselho de Administração do BES Vítor Bento, José Honório e Moreira Rato não participaram na elaboração e aprovação das contas do primeiro semestre deste ano, segundo a apresentação de resultados hoje divulgada.

O BES divulgou hoje as contas do primeiro semestre, em que teve prejuízos históricos de 3.577,3 milhões de euros.

No fim do documento com a apresentação das contas é dito que «os membros do Conselho de Administração cooptados no passado dia 13 de julho de 2014 não intervieram no processo de elaboração e aprovação das presentes demonstrações financeiras consolidadas referentes ao primeiro semestre de 2014, do relatório de gestão intercalar e das declarações referidas na alínea c) do nº1 do artigo 246 do Código dos Valores Mobiliários».

A não participação dos novos administradores é justificada pelo facto de esses documentos se referirem a um período de atividade do banco antes da sua entrada em funções, assim como pelo facto de o período de tempo que mediou entre a entrada em funções desses gestores e aprovação dos documentos não ter sido suficiente «de molde a permitir analisar adequadamente as referidas contas, nem os factos nelas reportados».

A nova equipa de gestão do BES começou em funções a 14 de julho. Nesse dia, o BES comunicou ao mercado a cooptação de Vítor Bento como presidente executivo, substituindo o líder histórico Ricardo Salgado, que tinha renunciado ao mandato.

A acompanhar Vítor Bento estão José Honório como vice-presidente e João Moreira Rato como administrador financeiro.