Uma em cada cinco pessoas que recebe educação universitária torna-se um milionário. Um relatório do instituto nacional de estatística britânico e que contrasta com o documento elaborado pela Direção-Geral do Ensino Superior esta semana e de que o «Diário Económico» fez referência esta semana, de que Um quinto dos cursos tem desemprego superior à media nacional.

Segundo o «The Telegraph», os milionários cresceram 50 por cento em quatro anos apesar das crises financeiras recentes e dez por cento dos jovens recém-formados britânicos consegue adquirir casas e bens no valor de um milhão de libras, qualquer coisa como mais de um milhão de euros.

Fortunas que crescem e aumentam ao longo dos anos, sem precisar, por isso, de ganhar o Euromilhões.

Na verdade, até parece um jogo, para descobrir as diferenças entre os jovens licenciados destes dois países europeus e parceiros da União Europeia.

O documento da DGES diz que há 172 licenciaturas e mestrados integrados com taxas de desemprego superior à média nacional.

Nos jovens portugueses, os números parecem mesmo crescer, mas na negativa: a taxa desemprego jovem (desempregados com menos de 25 anos) subiu 0,4% em relação a fevereiro , sendo já de 30,4% do total dos desempregados, segundo o Eurostat.

Muitos só vêem como solução a emigração . Este país não para jovens?