A taxa de desemprego em Portugal desceu em outubro, pelo sétimo mês consecutivo, para os 15,7%, de acordo com os dados divulgados esta sexta-feira pelo Eurostat, que reviu em baixa os valores dos últimos meses.

Descida do desemprego «é sinal positivo», diz Mota Soares

Neste boletim, o gabinete oficial de estatísticas da União Europeia reviu em baixa de meio ponto percentual (de 16,3% para 15,8%) a taxa de desemprego para Portugal em setembro, tal como os valores para os meses de julho e agosto, de 16,5% para 16% e de 16,5% para 16,2%, respetivamente.

Assim, segundo os dados divulgados até agora pelo Eurostat, a taxa de desemprego em Portugal regista descidas consecutivas há sete meses: abril (17,3%), maio (17%), junho (16,7%), julho (16,2%), agosto (16%), setembro (15,8%) e outubro (15,7%).

O Eurostat justifica as revisões, sobretudo as mais significativas, como no caso de Portugal, com a inclusão no processo de cálculo da taxa de desemprego dos dados mais recentes do estudo da União Europeia sobre a força de trabalho, com base no qual calcula a taxa de desemprego, resultado do número de pessoas desempregadas enquanto percentagem da força de trabalho.

PSD fala em «sinais consistentes de recuperação económica»

A taxa de desemprego de 15,7% em outubro (uma descida face aos 15,8% verificados em setembro e aos 16,9% de outubro de 2012) mantém Portugal como o quinto país da União Europeia com o desemprego mais elevado, sendo ultrapassado apenas pela Grécia, Espanha, Croácia e Chipre.

Na zona euro a taxa de desemprego em outubro situou-se nos 12,1% (19,298 milhões de pessoas) e nos 10,9% (26,654 milhões de pessoas) ao nível da União Europeia.

Entre os 28 Estados-membros, as taxas de desemprego mais baixas foram registadas na Áustria (4,8%), Alemanha (5,2%) e Luxemburgo (5,9%) e as mais elevadas na Grécia (27,3%, em agosto) e em Espanha (26,7%).

Na comparação homóloga, isto é, face a outubro de 2012, a taxa de desemprego aumentou em metade dos países europeus e baixou na outra metade, sendo que as subidas homólogas mais acentuadas se verificaram em Chipre (de 13,2% para 17%), Grécia (de 25,5% para 27,3% entre agosto de 2012 e de 2013) e nos Países Baixos (de 5,5% para 7%).

No que diz respeito ao desemprego jovem (cidadãos com menos de 25 anos), Portugal regista a sétima taxa mais elevada da União Europeia (36,5% em outubro).

De acordo com o Eurostat, em outubro de 2013, 5,657 milhões de jovens estavam no desemprego no conjunto dos 28 países da União Europeia e 3,577 milhões apenas ao nível da zona euro.