A agência de notação Standard & Poor's anunciou esta sexta-feira ter passado a perspetiva da classificação da dívida portuguesa de «negativa» para «estável», explicando a decisão com o facto de a economia de Portugal ter ultrapassado as expetativas.

A agência de rating manteve, no entanto, a classificação de Portugal em «BB», o que significa que continua a considerar que a capacidade de Portugal pagar as suas dívidas como «lixo».

A decisão da Standard & Poor's segue a que já tinha sido tomada Fitch em abril, faltando apenas conhecer a da terceira agência de rating entre as três grandes, a Moody's, também anunciada para hoje.

De accordo com a S&P, o desempenho económico e orçamental de Portugal superou as expectativas e a produção de riqueza do país deverá crescer em média 1,4% durante 2014 e 2015.

A 17 de janeiro, a agência de notação financeira retirou a observação negativa do risco da dívida portuguesa ('creditwatch' negativo), mas manteve uma perspetiva negativa devido a riscos de instabilidade política e social, tendo mantido também o rating atribuído, de «BB».

No entanto, no mês seguinte, a agência de notação financeira Standard and Poor's informou que converteu o rating atribuído a Portugal em «não solicitado», continuando, apesar disso, a avaliar a dívida da República Portuguesa.

Na altura, a Standard and Poor's explicou que, depois da não renovação do acordo com o Governo português, vai «manter o seu rating a Portugal numa base não solicitada».

A 11 de abril, a Fitch atualizou a perspetiva de Portugal de «negativa» para «positiva», mantendo o rating de crédito do país em «BB+».

Na altura, a agência de notação justificou a decisão com os progressos de Portugal na redução do défice e com o facto de o desempenho orçamental do país em 2013 ter ultrapassado as expetativas e «superado os objetivos do programa de ajuda externa delineado pelo FMI e pela Comissão Europeia».

Hoje, a S&P justificou a melhoria da perspetiva do rating também o desempenho orçamental e da economia que, segundo a agência de notação, ultrapassaram as expetativas.

«A perspetiva 'estável' mostra que a capacidade de obtenção de crédito de Portugal está a estabilizar», refere a S&P no comunicado hoje divulgado.