O presidente do conselho de administração da Jerónimo Martins, Alexandre Soares dos Santos, que pediu renuncia do cargo a partir de 01 de novembro, considerou hoje que chegou ao fim trajetória de liderança de 45 anos do grupo.

«No momento em que, por razões pessoais, entendo ter chegado ao fim a trajetória de liderança que iniciei há 45 anos, sinto dever uma nova de reconhecimento aos órgãos de comunicação social e aos jornalistas portugueses» pelo «interesse com que sempre seguiram a atividade do grupo a que, até agora, presidi e também pela correção que, na maior parte das vezes, marcou a nossa relação», refere Alexandre Soares dos Santos, numa nota enviada à agência Lusa.

Soares dos Santos prossegue: «Trabalho há 56 anos e tenho 79 anos de idade, Dediquei ao grupo Jerónimo Martins o melhor do meu conhecimento e das minhas capacidades e não escondo o orgulho que sinto com o que fomos capazes de construir».

«A minha vontade pessoal de desacelerar o ritmo não é nova. Já a expressara publicamente e mantenho-a», acrescenta.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Jerónimo Martins anunciou hoje que Alexandre Soares dos Santos pediu a renúncia do cargo de presidente do conselho de administração do grupo, com efeitos a 01 de novembro.

Alexandre Soares dos Santos continuará no cargo até finais de dezembro e, posteriormente, pretende dedicar-se à presidência do conselho de administração da sociedade Francisco Manuel dos Santos e da Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Em entrevista à Lusa em março passado, por ocasião da abertura das primeiras lojas Ara, da Jerónimo Martins na Colômbia, Alexandre Soares dos Santos já tinha manifestado a vontade de desacelerar o ritmo, tendo afirmado que estava «debaixo de pressão para ficar», tendo ficado na liderança do grupo em resposta ao desafio colocado pelo acionista.

«Para estar à frente» do grupo «é preciso muita genica», disse na altura.

«O grupo encontra-se numa fase de grande estabilidade do seu ciclo de vida. Em Portugal, temos negócios maduros e bam implantados; na Polónia, prosseguimos com firmeza o nosso plano de expansão e de consolidação da liderança do mercado de retalho alimentar; na Colômbia, estamos a terminar o primeiro semestre de atividade, com sinais promissores para o futuro», acrescentou Alexandre Soares dos Santos, na nota.

«É minha convicção absoluta que, nas atuais circunstâncias de experiência e de maturidade de Jerónimo Martins, o esforço permanente que o exercício do cargo de presidente do conselho de administração exige de mim deixou de justificar-se».

Por isso, «está na hora de dedicar-se aos demais projetos que me ocupam, nomeadamente a presidência do conselho de administração da sociedade Francisco Manuel dos Santos e a Fundação Francisco Manuel dos Santos, com a confiança de quem sabe que deixa bem entregue a principal obra da sua vida».