Durante o primeiro semestre de 2014 houve mais de 10.000 trabalhadores que saíram da Função Pública, segundo a Síntese Estatística do Emprego Público divulgada hoje pela Direção-Geral da Administração e do Emprego Público.

Os dados mostram que no final do ano passado o setor das administrações públicas empregava 563.739 trabalhadores, número que no final de junho era de apenas 552.959, menos 10.780 funcionários.

A redução de funcionários públicos é quase totalmente explicada pela saída de funcionários da administração central, onde se registou uma saída de 7.999 funcionários, sendo que as restantes saídas se dividem pelas autarquias e regiões autónomas.

Esta redução líquida de funcionários na administração pública portuguesa resulta de mais de 33 mil saídas e de perto de 23 mil entradas durante o primeiro semestre.

No total das saídas, perto de 19.000 dizem respeito a saídas definitivas e, dentro destas, mais de 7.000 devem-se a situações de aposentação. Às saídas definitivas somam-se ainda 14.783 funcionários que foram colocados em mobilidade e outras situações.