O presidente do Banco Espírito Santo Investimento (BESI), José Maria Ricciardi, desmentiu neste domingo, em comunicado, a existência de encontros secretos conspirativos com o angolano Álvaro Sobrinho que, segundo noticiava o «Correio da Manhã», desagradavam à administração do BES.

«Os contactos havidos entre o signatário e o Dr. Álvaro Sobrinho circunscreveram-se à consolidação de uma plataforma de acordo entre os bancos credores e o Sporting Clube de Portugal que culminaram pela conversão dos créditos do Dr. Álvaro Sobrinho em capital, medida que muito contribuiu para a estabilização financeira do Sporting Clube de Portugal», explica José Maria Espírito Santo Silva Ricciardi em comunicado.

O documento, assinado na qualidade de membro do Conselho Superior do Grupo Espírito Santo, onde na semana passada negou dar um voto de confiança ao líder do banco, o mesmo sublinha que «a invocação da quebra da lealdade institucional no que respeita ao dossier Banco Espírito Santo de Angola (BESA) / Dr. Álvaro Sobrinho, não tem qualquer sentido, dado que a condução e a responsabilidade que dela emerge coube ao Dr. Ricardo Salgado, não tendo alguma vez o signatário sido chamado a intervir neste processo».

«Os contactos havidos entre o signatário e o Dr. Álvaro Sobrinho circunscreveram-se à consolidação de uma plataforma de acordo entre os bancos credores e o Sporting Clube de Portugal que culminaram pela conversão dos créditos do Dr. Álvaro Sobrinho em capital, medida que muito contribuiu para a estabilização financeira do Sporting Clube de Portugal», esclarece o comunicado.

Ricciardi garante ainda que «a realidade dos factos demonstrará em breve a justeza das posições assumidas até esta data pelo signatário».

Álvaro Sobrinho, ex-diretor do BES Angola, e atual chairman do banco, tem sido apontado pelo banco como sendo «ostensivo e sistemático» nos ataques a Ricardo Salgado, presidente do banco. Em setembro, o BES chegou a emitir um comunicado, assinado pelo diretor de comunicação, Paulo Padrão, a criticar a postura de Sobrinho.