As receitas de portagens das Estradas de Portugal chegaram aos 289,5 milhões de euros em 2013, representando um crescimento de 14% face ao ano anterior, divulgou este sábado a empresa em comunicado.

Esta subida traduz-se num aumento da receita em 35,6 milhões de euros, face à receita arrecada em 2012, de 253,9 milhões de euros, segundo o comunicado das Estradas de Portugal, acrescentando que a subida mais significativa ocorreu nas ex-SCUT Norte Litoral, Beiras Litoral e Alta, e Algarve, com crescimentos superiores aos 15%.

As receitas das autoestradas Norte Litoral cresceram 17% no ano passado, para 29,2 milhões de euros, face aos 24,8 milhões arrecadados pela empresa em 2013.

A autoestrada do Algarve apresentou um aumento das receitas de 16% em 2013, para 23,7 milhões de euros, valor que compara com os 20,4 milhões de euros arrecadados em 2012.

Quanto às autoestradas das Beiras Litoral e Alta, estas registaram uma subida de 42,4 milhões de euros, mais 15% face aos 36,8 milhões de euros arrecadados em 2012.

A empresa realça que as maiores subidas das receitas «registaram-se nas concessões ex-SCUT, com um aumento médio de 10% ou superior».

Em relação às autoestradas subconcessionadas diretamente pelas Estradas de Portugal com troços portajados, a Transmontana, Pinhal Interior, Baixo Tejo e Litoral Oeste, a receita de portagem ascendeu aos 13,5 milhões de euros em 2013, face aos 4,2 milhões de euros em 2012.

Já as autoestradas na zona litoral do país e as do interior do território nacional registam diferentes comportamentos.

Nas concessões situadas no Litoral a receita de portagem obtida no ano passado foi de 214,8 milhões de euros, enquanto nas autoestradas do Interior a receita ascendeu aos 74,7milhões de euros.

«No entanto, o aumento das receitas relativamente a 2012 nas autoestradas do Interior foi bastante superior ao crescimento registado no Litoral», destaca ainda a empresa.