A PT tem seis anos para recuperar o impacto negativo da dívida da Rioforte na sua fusão com a OI, segundo os termos definitivos dos contratos a apresentar à assembleia-geral a realizar até 8 de setembro de 2014.

Em comunicado divulgado na página da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a PT anunciou que a holding PT SGPS (sociedade gestora de participações sociais) e a brasileira Oi acordaram os termos definitivos dos principais contratos a celebrar na sequência do memorando de entendimento (MoU, na sigla em inglês), apresentado em 16 de julho passado.

Este memorando foi celebrado na sequência do final do prazo que a Rioforte tinha para reembolsar os 847 milhões de euros à empresa, a que se juntaram outros 50 milhões.