O volume de minutos de conversação originados nas redes móveis aumentou 1,3% no primeiro trimestre, face ao trimestre anterior, e 11,6% em termos homólogos, com o aumento da adesão dos consumidores a ofertas com chamadas ilimitadas.

Em comunicado, a Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) diz que «o aumento registado ficou acima das previsões resultantes da tendência histórica e do efeito sazonal estimado».

Assim, de acordo com os dados da Anacom, o número de minutos de conversação por estação móvel com utilização efetiva (excluindo placas/modem e equipamentos máquina a máquina) foi, em média, de 166 por mês.

Destes, 118 foram minutos on-net, 31 foram minutos off-net, oito tiveram como destino a rede fixa, três destinaram-se a números curtos/não geográficos e seis a redes internacionais.

Em média, a duração das chamadas originadas na rede móvel (excluindo placas/modem e equipamentos máquina a máquina) foi de 158 segundos por chamada, mais 7 segundos do que no trimestre anterior.

No total, no primeiro trimestre existiam 16,3 milhões de cartões ativos, menos 2% que no trimestre anterior e destes, 12,7 milhões (78%), foram efetivamente utilizados no trimestre.

Excluindo as placas/modem e os cartões associados a comunicações máquina a máquina, esse número desce para 11,6 milhões, menos 3,6% do que no trimestre anterior, dos quais 46,7% são clientes MEO, 38,8% são da Vodafone e 12,7% da ZON Optimus (NOS).

Durante o primeiro trimestre, 4,57 milhões de utilizadores usaram serviços de 3G (terceira geração), menos 1,9% que no trimestre anterior, e 3,9 milhões utilizaram a internet móvel, num aumento trimestral de 0,2%.

No trimestre, a Anacom destaca ainda a ¿migração de assinantes de planos pré-pagos para planos combinados/híbridos e, em menor medida, para planos pós-pagos¿.

Os planos pós-pagos registaram um crescimento de 11,3% face ao trimestre anterior e os combinados/híbridos um aumento de 4,7%, refere.

¿Esta evolução poderá dever-se ao aumento da penetração de tarifários multiple play, que integram o serviço móvel num pacote de serviços¿, justifica.

No período em análise, 10,3% dos clientes residenciais do serviço móvel tinham uma oferta em pacote, contra 0,6% um ano antes, o que equivalia que 20% dos lares com pacotes de serviços tinham uma oferta que integra o serviço móvel, segundo o barómetro de telecomunicações da Marktest, citado pela Anacom.

A penetração de smartphones também continua a aumentar, tendo atingido 41,8% no final de março.

Os utilizadores do serviço de mensagens enviaram cerca de 6,1 mil milhões de mensagens escritas, menos 7,4% face ao trimestre anterior.

O número de mensagens enviadas para outras redes, cerca de 7% do total, registou um aumento homólogo de 70,6% e de 7,4% no trimestre, o que se deve ¿à disseminação de ofertas que permitem enviar mensagens gratuitamente para todas as redes móveis¿.

Também de acordo com os dados do barómetro de telecomunicações da Marktest, o volume de receitas acumuladas dos serviços a clientes até março ascendeu, por sua vez, a cerca de 457 milhões de euros, o que representa um decréscimo de 11,7% face ao período homólogo.

Já o valor médio da mensalidade do serviço móvel no final do 1º trimestre de 2014 era de 14,10 euros, como apurou a Lusa.