O emprego em Portugal cresceu 0,5% no quatro trimestre de 2013, face ao mesmo período de 2012, tendo ainda registado um dos maiores aumentos da União Europeia, 0,7%, em relação ao terceiro trimestre, revela o Eurostat.

Mota Soares valoriza posição de Portugal na criação de emprego

De acordo com o gabinete oficial de estatísticas da União Europeia, no conjunto do ano de 2013, o emprego recuou 0,9% na zona euro e 0,4% no conjunto dos 28 Estados-membros, contra 0,7% e 0,2%, respetivamente, em 2012.

Já em termos homólogos, isto é, em comparação com o quarto trimestre de 2012, o emprego caiu 0,5% na zona euro e 0,1% na União Europeia.

Em relação aos três meses anteriores, o número de pessoas com emprego aumentou no quarto trimestre 0,1% na zona euro e também na União Europeia.

O Eurostat estima que no quarto trimestre de 2013 havia 223,6 milhões de pessoas com emprego na União Europeia e 145 milhões de pessoas na zona euro.

Entre os Estados-membros com dados disponíveis, a Lituânia (1%), a Irlanda e Portugal (0,7% cada) registaram no quarto trimestre de 2013 as taxas de crescimento mais elevadas face ao terceiro trimestre, enquanto a Estónia (-1,3%), a Letónia (-1,1%) e Chipre (-0,6%) observaram as maiores quedas.

Em termos homólogos, Portugal registou no quarto trimestre, pela primeira vez em 2013, um aumento do emprego (0,5%), tendo verificado quedas de 2,4% no terceiro trimestre, de 4% no segundo e de 5,2% no primeiro.

Já em relação ao terceiro trimestre, o número de pessoas com emprego em Portugal caiu ligeiramente, de 0,8% para 0,7% entre outubro e dezembro.