A greve de pilotos da TAP de sábado levou este domingo a um «acréscimo de tráfego» de passageiros que viram alterada a sua data de voo, mas «voltou tudo à normalidade», assegurou à Lusa o porta-voz da transportadora aérea.

«Há um acréscimo de tráfego, com mais passageiros do que aqueles que inicialmente estavam reservados para o dia de hoje [em resultado das] transferências que se verificaram no dia de ontem [sábado]», afirmou André Serpa Soares.

Setenta voos da TAP não foram efetuados no sábado devido à greve dos pilotos, tendo a empresa garantido «80% da sua operação», referia um comunicado ao final do dia.

Hoje, o porta-voz referiu ter-se verificado nos voos um «acréscimo de passageiros» e «mais atividade em termos de ocupação dos aviões» em resultado da greve de sábado, mas «nada de extraordinário para esta altura do ano».

Segundo André Serpa Soares, «um domingo em agosto já é normalmente um dia com grande ocupação nos aviões» e o de hoje tem «ainda mais um bocadinho de ocupação».

«A operação está a correr sem mais qualquer nota digna de registo», rematou.

No sábado de manhã, a companhia aérea estimava que entre 17 e 18 mil dos 42 mil passageiros com voo agendado deveriam embarcar ao longo do dia e os restantes noutras datas.

Os pilotos da TAP cumpriram no sábado um dia de greve contra o agravamento das condições de trabalho e para obrigar o acionista Estado a receber os sindicatos para se discutir a situação da empresa.

Numa nota sobre o balanço da greve, a transportadora congratulou-se, no final do dia de sábado, com a «serenidade» verificada no aeroporto de Lisboa, bem como nos restantes aeroportos em que opera e agradeceu a «compreensão revelada pelos passageiros».