O ministro da Economia, António Pires de Lima, afirmou esta segunda-feira que as alternativas ao chumbo da convergência de pensões pelo Tribunal Constitucional (TC) «seguramente serão encontradas».

Pensões: chumbo «não muda estratégia» de Portugal

Pires de Lima falava aos jornalistas em Cascais, à margem do Conselho da Diáspora Portuguesa, onde participou no encontro.

Questionado sobre a possibilidade de uma das medidas alternativas ao chumbo do TC poder passar pelo aumento do IVA, Pires de Lima disse que sobre esse tema já tinha dito «tudo o que tinha a dizer antes de entrar no Governo».

Enquanto governante, «compete-nos aceitar as decisões do Tribunal Constitucional e continuar a lutar e a trabalhar para chegarmos ao fim deste programa [de ajustamento] em junho de 2014. Como estamos comprometidos e obrigados a encontrar alternativas, essas alternativas seguramente serão encontradas», disse o ministro.

Sobre eventuais divergências sobre as medidas alternativas à convergência de pensões, Pires de Lima disse: «Não vou entrar em qualquer especulação sobre o tipo de medidas substitutivas que serão apresentadas pelo Governo».

Sobre o Conselho da Diáspora Portuguesa, que foi criado há um ano, Pires de Lima disse que estes encontros «têm tudo a ver com as prioridades» que o Governo está a procurar dar na economia à internacionalização das empresas portuguesas.

«Tenho passado parte importante do meu tempo a procurar dar visibilidade ao trabalho extraordinário que as empresas estão a fazer fora de Portugal», disse.

«Este encontro junta num dia inteiro um conjunto de portugueses que se estão a afirmar» em diversos setores em todo o mundo, «pessoas que provam que os portugueses são bons fora de Portugal e nos centros mais exigentes de todo o mundo», acrescentou Pires de Lima, que defendeu que esta rede dá o «exemplo» do sucesso de portugueses no mundo.