Na mensagem de Natal, o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho afirmou que nos primeiros nove meses do ano foram criados em Portugal 120 mil novos postos de trabalho, mas o número peca por excesso.

Segundo o jornal i, os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) revelam que apenas foram criados 21,8 mil novos empregos entre janeiro e setembro.

As contas do primeiro-ministro só bateriam certo se o ano de 2013 tivesse começado em março porque no primeiro trimestre foram destruídos 100 mil empregos.