O Presidente do Conselho Económico e Social (CES), José Silva Peneda, adiantou este sábado que o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, vai discutir na próxima semana o Orçamento para 2014 com os parceiros sociais na Comissão Permanente da Concertação Social.

«Isto é inédito, nunca aconteceu, normalmente o Conselho Económico e Social dá um parecer, que já foi feito, mas não tenho ideia de alguma vez o primeiro-ministro ter-se deslocado ao conselho permanente para discutir o Orçamento do Estado. Essa reunião é feita por iniciativa do próprio primeiro-ministro», disse Silva Peneda.

O presidente do CES, que falava à margem do Congresso para o Crescimento Sustentável, que decorre hoje no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), em Lisboa, adiantou que a reunião decorrerá na próxima semana e mostrou-se "muito satisfeito" com o facto.

«Se o Primeiro-ministro quer fazer uma reunião e quer estar presente, seguramente está sensível ao motivo das solicitações quem têm sido feitas e quer discutir olhos nos olhos», sustentou.

Silva Peneda disse ainda aos jornalistas que «se não houver esse consenso político, Portugal vai ficar na mão de outros que não portugueses a definir o seu futuro coletivo», mas mostrou-se confiante num entendimento.

«Acho que os portugueses exigem esse entendimento, há muito espaço para a luta partidária, mas neste momento está em causa o futuro de muitas gerações», disse.

O responsável considerou que a haver um acordo destes, «será para mais do que uma legislatura, independentemente de quem estiver no exercício do poder».

«Estou a falar no plano da grande política. A pequena política é aquela onde se vão fazendo as coisas com as regras estabelecidas, estamos num momento de rutura, o modelo que vigorou até 2011 está esgotado», disse.