O presidente do IGCP afirmou esta terça-feira que a operação de recompra de dívida no valor de 50 milhões de euros «correu muito bem» e demonstra «a confiança dos investidores», que «só estão prontos a vender a preços (...) muito elevados».

Estado abate apenas 50 milhões à dívida

Interrogado pelos jornalistas por que razão foram recomprados apenas 50 milhões de euros em dívida que vencia em 2015, João Moreira Rato disse que «é uma questão de preço».

«No fundo, estavam só a querer vender a preços que nós consideramos muito elevados. Esta operação correu muito bem porque mostra a confiança dos investidores, que, nesta fase, só estão prontos a vender a preços que nós consideramos muito elevados», defendeu, citado pela Lusa.

Falando à margem de um almoço-debate promovido hoje em Lisboa pela Câmara do Comércio Luso-Francesa, o presidente do IGCP, a agência que gere a dívida pública portuguesa, disse ainda que «o facto de os preços estarem muito elevados mostra o nível de conforto que [os investidores] têm», o que indicia que os mercados acreditam que as obrigações vão valorizar nos próximos tempos.

O Tesouro português só conseguiu hoje amortizar 50 milhões de euros da dívida total de 8,2 mil milhões de euros que tinha para pagar até outubro de 2015.

O IGCP foi hoje ao mercado para recomprar uma parte desta linha de Obrigações do Tesouro, naquele que foi o segundo leilão de recompra em menos de um mês. O rácio de cobertura da operação foi 17,8 vezes e o preço médio da recompra foi de 104,30 euros (a uma taxa cupão de 3,35%).