A Direção-Geral do Orçamento (DGO) divulga esta quinta-feira a execução orçamental até abril de 2014, ano em que o défice terá de baixar para os 4%.

No Orçamento do Estado para 2014 está previsto um défice de 4% do Produto Interno Bruto (PIB), a meta acordada entre o Governo e a troika (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu) para este ano.

Entre janeiro e março de 2014, Portugal cumpriu o limite para o défice orçamental estabelecido no Programa de Ajustamento Económico e Financeiro (PAEF), que era de 1.700 milhões de euros, de acordo com a síntese da execução orçamental de março, publicada pela DGO no final de abril.

Até março, o défice provisório das administrações públicas atingiu os 825 milhões de euros, o que significa que ficou «845 milhões de euros abaixo do limite».

A despesa da administração central aumentou 2% até março face ao período homólogo, devido ao aumento das transferências e dos juros, ao passo que a receita subiu 7,3%, devido sobretudo ao crescimento da receita fiscal.

No primeiro trimestre, os pagamentos em atraso há mais de 90 dias cifraram-se nos 1.966 milhões de euros, mais 69 milhões do que no final de 2013, devido sobretudo aos hospitais EPE.