O Governo vai ter de tomar medidas para cortar a despesa 3,9 mil milhões de euros, para conseguir cumprir a meta de défice orçamental, acordada com a troika, para 2014 e que é de 4% do Produto Interno Bruto (PIB), revela a proposta de Orçamento do Estado (OE 2014).

Destes 3.901 milhões de euros de poupanças com medidas que serão aplicadas em 2014, o Governo diz que apenas 183 milhões de euros dizem respeito a medidas pontuais, e 3.781 milhões de euros são em medidas permanentes.

Os maiores contributos são os cortes nas despesas com pessoal (nos quais se inclui o corte nos salários dos funcionários públicos e de todas as entidades ligadas às administrações públicas entre os 2,5% e os 12%), e com os quais se espera poupar 1.320 milhões de euros.

O esforço de austeridade é maior porque o Governo espera um défice orçamental de 5,9% este ano e esse valor tem que ser compensado, assim como as medidas pontuais que foram tomadas durante este ano e que transitam para as contas do próximo ano.