Os encargos líquidos com as Parcerias Público-Privadas (PPP) vão atingir um pico em 2014, ao totalizarem 1.645 milhões de euros, dos quais 70% são com contratos rodoviários, segundo a proposta de Orçamento do Estado para 2014.

O valor total das PPP (rodoviárias, ferroviárias, saúde e segurança) previsto para 2014 representa quase o dobro dos 869 milhões de euros deste ano.

O Governo justifica este aumento com o facto de o ano de 2014 marcar «o início dos pagamentos relativos aos contratos das subconcessões da EP [Estradas de Portugal], assinados entre 2007 e 2011».

Do valor previsto para 2014 (1.645 milhões de euros), 1.166 milhões de euros são referentes a contratos rodoviários, nove milhões à ferrovia, 418 milhões à área da saúde e 52 milhões à segurança.

No caso das parcerias rodoviárias, há um aumento expressivo em relação a 2013: de 417 milhões de euros para 1.166 milhões de euros em 2014.

Em 2015, os encargos com as PPP rodoviárias baixam para 1.097 milhões de euros, para depois voltarem a subir para 1.121 milhões de euros em 2016.

Em 2014, os encargos com as PPP ferroviárias mantém-se estáveis nos nove milhões de euros, enquanto os custos com as parcerias da área da saúde sobem de 394 milhões de euros este ano para 418 milhões de euros.

Na área da segurança, os encargos aumentam de 50 milhões em 2013 para 52 milhões em 2014.